Do(s) (1)8 para o(s) 80, uma História de Sustentabilidade Familiar

DSC_0037.JPG

a família, só falto eu, o pedro, o fotógrafo

No último Dia das Bruxas, ou Halloween, como preferirem… É que a mim já me custa que esta seja uma tradição importada, e ainda termos de lhe manter o nome estrangeiro… Vou-me ficar pela designação cá da malta!

Voltando ao tema, neste dia, que para mim é mais que tudo o aniversário do meu Pai, o Toni, como o chamamos todos, netos, filhos, sobrinhos, mulher, amigos e por aí fora, completou 80 “biscas”, como ele diz.

Em conversa com as minhas irmãs, a Bá e a Claudete, portanto duas, comigo 3 irmãos e filhos dos meus pais, falávamos sobre os preparativos da celebração e o que haveríamos de oferecer a um Homem numa tão provecta idade… Gosto da expressão!

Entre várias ideias colheu maior consenso um tablet. Mas é preciso que percebam bem o enquadramento. Não se tratava de uma prenda com vista à introdução das novas tecnologias lá em casa dos seniores ou “new agers”, para assim posicionar este artigo a par das tendências do momento. Esse passo já o tínhamos dado há dois anos com a oferta do primeiro “smartphone” a entrar lá na casa dos meus Pais, pelo 78º aniversário do meu Pai.

Essa sim a verdadeira revolução tecnológica da casa dos Avós e também a verdadeira motivação para o tablet… Que eu explico: o meu Pai anda sempre, desde que se familiarizou com o seu novo gadget, com ele atrás. E para quê? Simplesmente para ver tudo o que é futebol e dá na tv, a televisão tradicional, quando não a tem nas proximidades.

Mas o telefone tem um ecrã muito pequeno e o Toni já tem uma vista muito cansada e precisa de ver a imagem maior. E foi esta a principal motivação para a escolha da prenda.

Não vou falar da minha Mãe, porque isso dava mais um artigo ou uma série deles, mas apenas referir que a Lola, como também todos a tratam, não gostou nada da ideia e, para ser brando, fica descontente a toda a hora com esta obsessão do Toni. Apenas para contextualizar, a Lola é uma Septuagenária que se recusa de forma convicta a tomar contacto com tudo o que sejam novas tecnologias.

Voltando ao tablet, tínhamos decidido e a Claudete, a minha irmã mais velha, em conversa com o filho Ricas, meu sobrinhito, que por acaso dá quase dois de mim de altura, tem quase 2,00 metros, e tem mesmo 18 anos, e com o meu Cunhado, Djulai, conversavam sobre a prenda e conversa puxa conversa, e aquele tablet do Ricas, que tá novo e guardado à espera de se tornar obsoleto, mas que está ainda para a as curvas?

O meu sobrinho, o Ricas, como todos os adolescentes, tem para ali uma quase que exclusividade com o seu telefone, que é aquilo que usa para tudo, por isso o tablet está guardado.

Acho que é também importante e justo referir que o Júlio, o meu cunhado, Djulai é mesmo só a minha irmã que lhe chama, é Cabo Verdiano, de uma família de 10 irmãos, da ilha do Fogo, para quem estas novas tendências de sustentabilidade, economia circular e outras tantas do género, que entraram há pouco nas expressões mais utilizadas por todos, não trazem grande novidade, porque na verdade para ele sempre foi uma necessidade e algo lógico reaproveitar, reutilizar, voltar a reaproveitar e voltar a reutilizar, até não poder mais, por necessidade e não por moda. Lembra-me uma frase que vamos ter em breve nos copos da Mercearia Bio Café – faças o que fizeres não me descartes nunca!

E assim foi dada a prenda, num papel com muitos corações e o nome de cada um dentro de cada coração, ainda dentro da caixa original. Para o meu Pai, que, como já tive oportunidade de dizer, tem fraca vista, foi como novo. Não parava de dizer – mas para que foram vocês gastar tanto dinheiro – preocupado com a nossa saúde financeira. E é claro que depois lhe dissemos o que ali estava na verdade.

DSC_0385.JPG

o embrulho do tablet

Mas o facto de se tratar de um equipamento já usado não diminuiu em nada o gesto e o valor do presente. Pelo contrário, acho que todos nos sentimos orgulhosos por este gesto que só teve coisas positivas para todos nós Família e para todos vós habitantes do planeta.

E só para rematar, sabem qual foi a prenda que a Clara, minha filha e eu, demos ao meu filho Pedro no passado dia 13? Uma bicicleta em 2ª mão que compramos no comércio tradicional de Portimão, na Torrado Bikes, onde já tinha comprado uma bicicleta nova para a Clara e onde conto comprar ou trocar as próximas que vierem a ser necessárias.

pedrocg

DSC_0042.JPG

o toni e o ricas